College: Orientation Day e Início das Aulas

por | jan 18, 2016 | College

Aulas estão pra começar, ansiedade a mil… E aí chega o tal Orientation Day e tenho que aparecer lá sem ter a mínima ideia do que esperar. Então, resolvi escrever esse post pra contar como foi e deixar registradas as minhas expectativas e impressões com o início das aulas. Mas é claro que nesse caso, eu estou falando especificamente sobre meu curso (Public Relations Post-Grad), meu campus (Story Arts Centre) e meu college (Centennial College). Se algo nessa combinação muda, tudo pode mudar!

Orientation Day

Como o próprio nome já diz, é um dia para dar todas as orientações iniciais para os alunos que vão começar algum programa no College em questão. Geralmente, ele acontece na semana anterior ao início das aulas. No caso do Centennial College, onde estou estudando, a orientação é dividida por campus. Nas semanas anteriores eles avisam por e-mail qual será o dia da orientação de cada campus e você se registra dizendo se vai ou não. Todos os novos alunos são convidados a comparecer (mas não é obrigatório), além de seus acompanhantes (pais, cônjuge…).

Mas eu percebi que foram poucos os que tiveram alguém pra acompanhar, mas eu fiz questão de levar o Paulo! Foi bom pra ele ver um pedacinho daquilo pelo qual a gente batalhou tanto e, de quebra, praticar um pouquinho do listening. Apesar de não ser obrigatório, acho que todos os alunos internacionais deveriam ir. É claro que tem muito daquele papo de “esse é o melhor college da galáxia e você é sortudo por estar aqui”, mas além disso, deu pra conhecer inúmeras coisas que a Centennial oferece, entender um pouco mais do funcionamento, conhecer alguns colegas e professores de antemão (e já receber umas dicas antecipadas deles), tirar dúvidas…

Tem momento em que há um papo geral, apresentação do reitor, coordenadores, associação estudantil e afins, mas também há um período especial para se encontrar com professores do seu curso específico (enquanto os acompanhantes se reúnem para saber até o que eles têm de benefício pelo college). Por último, há também um encontro apenas entre os estudantes internacionais com o departamento internacional do college que dá diversas orientações importantes específicas pra quem está nessa situação. Além disso, a Centennial ainda oferece almoço grátis para os alunos e seus acompanhantes. Não dá pra perder, né? haha

Algumas dicas

  • Aproveite esse dia para conhecer alguns colegas, fazer um primeiro contato com os professores, tirar dúvidas e descontrair.
  • Como o campus estará mais vazio que quando as aulas começarem, faça já seu Student Card no Main Office do seu campus. Ele será importante para utilizar algumas salas, biblioteca e alguns serviços.
  • Aproveite também para verificar os preços dos livros que terá que utilizar durante o programa. Depois, pesquise o preço dos livros usados para ver o que mais compensa pra você (Kijiji ou grupos em Facebook de alunos do College podem ajudar!). Alguns livros podem ser muito caros!
  • Fique atento às dicas dos professores. Pelo menos no meu caso, deram várias dicas do que eles gostam de ver num aluno e contam casos de sucesso, isso é muito bom pra entender o tom das aulas e avaliações.
  • Aproveite a equipe que dá apoio a alunos internacionais e tire qualquer dúvida quanto a vistos, permissões, etc.
  • Preste atenção em tudo pra ter chance de ganhar brindessss!!!
  • Se prepare pra estudar muito!

Início das aulas e alguns medos

Estou fazendo questão de deixar registrado aqui algumas das minhas expectativas e medos nesse início de curso. Pra falar a verdade, agora que a ficha tá caindo realmente de que estou voltando a estudar (não que tenha tanto tempo assim que saí da faculdade). E com essa ficha, tá caindo também muuuuita ansiedade! Para quem não sabe, estou fazendo uma pós em Relações Públicas e isso tem muito a ver com meus medos. Afinal, é um curso na área de comunicação e isso está muuuito ligado tanto ao idioma quanto à cultura do país em si. É muito diferente eu tentar me comunicar com o público do país que eu nasci e conheço e com o público de um país que eu acabei de chegar e cujo idioma oficial é minha segunda língua (e o outro idioma oficial eu só sei falar “abajour”).

Isso coloca um peso muito maior em cima dos meus ombros para eu me dar bem no curso. O alívio que eu senti a princípio por estar numa turma em que quase 50% é de alunos internacionais foi embora quando vi que praticamente todos eles cursaram outro curso aqui no Canadá e, portanto, já passaram por isso e estão muito mais adaptados que eu. Como uma pessoa que está fora do contexto canadense, vou ter que correr atrás para conhecer os jornais e seus posicionamentos (no Brasil, a gente sabe quais os veículos são de direita e quais são de esquerda, por exemplo, mas e aqui?), quem são os jornalistas, qual formato de notícias eles adotam, quais são as empresas maiores e mais famosas… sem falar de coisas que parecem mais banais como: o que ofende os canadenses? Que tipo de piada acham engraçado? Quem são os canadenses nacionalmente famosos?

Isso, sem falar de que o curso em si tem suas próprias dificuldades, suas adaptações, sua rigidez. Tenho que aprender a escrever segundo a “ABNT canadense”, ler centenas de páginas toda semana, fazer dezenas de assignments todo mês, me virar com o inglês a nível de ter notas tão boas quanto nativos na língua e ainda não escrever nome de uma pessoa errado (como sempre fazem com o meu, haha), senão meu trabalho terá automaticamente nota zero. Sim, são rígidos a esse ponto.

Estrutura do Campus

Ainda não aproveitei nem metade da estrutura do meu campus. Mas é muita coisa pra aproveitar: tem academia (que é gratuita), aulas de yoga e zumba ($10/semestre cada uma!), teve dia com chocolate quente de graça, therapy dogs, dia da panqueca, sessões de meditação, biblioteca com direito a pufes pra deitar funcionando até às 21h, campus aberto 24h pra ninguém parar de estudar… Sem falar no que eu ainda tenho que descobrir e no que tem nos outros campus (que são beeeeeem maiores que o meu).

Achei tudo muito organizado, decoração muito legal, salas muito bem equipadas, sem falar no piano de cauda no meio do meu prédio que conta com performance de alunos de música que aleatoriamente praticam e nos dão o gostinho da arte, haha… Sem falar nos laboratórios, equipamentos e possibilidades… coisa que eu nem poderia sonhar enquanto estava na minha sucateada universidade federal no Brasil, mas que ainda é um sonho pra diversas instituições particulares também (ver da janela um laboratório formado por iMacs parece coisa de propaganda, né?).

Professores e ritmo das aulas

Professores são todos muito qualificados. Nada daqueles que focaram na vida acadêmica mas mal pisaram no mercado! Maioria continua ativa, com empresas próprias inclusive, e se deram muito bem no mercado de trabalho e, por isso, têm bagagem e autoridade suficiente para nos ensinar. Mas são rigorosos… Por isso é tão importante se dedicar ao máximo aos estudos. Com o foco do Centennial e do meu programa sendo no mercado de trabalho, aquilo que um cliente ou chefe não perdoaria, professores também não perdoarão.

Professores não falam mais devagar porque existem alunos internacionais na sala, afinal, você já foi aprovado na prova de proficiência e está subentendido que você sabe inglês e ponto. Nem vão ficar perdoando um texto mal escrito ou ficar explicando nos mínimos detalhes o contexto mercadológico canadense. Mas isso não quer dizer que eu não possa parar e pedir explicações ou que não possa pedir ajuda. Professores são muito abertos a esse tipo de coisa, apenas querem que você corra atrás. Você é o total responsável pelo seu sucesso.

E já deu pra perceber isso depois de uma semaninha só! Os horários de aula são realmente malucos. É realmente full-time e isso não é mito! Cada dia é um horário diferente, uma dinâmica diferente… Alguns dias eu nem tenho horário para almoço e isso é bem difícil de acostumar: realmente tem que se transformar em canadense e conseguir ficar satisfeito com um sanduichinho rápido como refeição, haha.

Expectativas

No fim das contas, o foco do Centennial no mercado de trabalho parece transparecer em cada detalhe e eu estou adorando isso. É intenso, é difícil, mas até aqui tá me parecendo que vale muito a pena! Tô com um bocado de medo e inclusive já estou cansada de estudar, mas estou muito animada por tudo que esse ano está guardando pra mim! Afinal, sempre tem o lado positivo: eu vou sobreviver. Sei que vou.

Por mais medo que eu tenha, sei que, ao fim de um ano de curso, vou sair do Centennial sendo uma profissional muito melhor do que a profissional que chegou aqui no Canadá. E aí, o mercado de trabalho é que se prepare!

Agora, deixa eu parar por aqui porque tenho leitura pra aula de amanhã…

Leia Também

Entrevista com o College: como foi? Pra ser aceita num College canadense, eu tive que passar por uma entrevista. Como se preparar pra algo assim? O que eles querem saber?
A saga do PR – Rian – Canadácido #04 Neste episódio, contamos o caminho percorrido por Rian e Gabi em busca do PR, desde empregos loucos, vistos negados até o sucesso final.
UM ANO DE CANADÁ: Perguntas e Respostas Quais as impressões, perrengues, dicas e experiências depois de um ano morando, trabalhando e estudando no Canadá? Confira nossas respostas!
Impressões sobre College no Canadá Nesse vídeo, vocês vão saber como foi o primeiro semestre do meu curso aqui em Toronto e o que esperar quando vier estudar em um college aqui no Canadá.

Comentários

Siga o Vem Canadá

Facebook

Instagram

Pra ajudar nas economias

Meliuz

Ebates

Ganhe desconto no Airbnb