Dicas de Viagem pra Banff: Montanhas Rochosas Canadenses

por | set 30, 2019 | Passeios e Viagens, Vida no Canadá

Quem acompanha a gente no Instagram sabe que eu e o Paulo, meu marido, fizemos uma viagem recente para Alberta, conhecer o Banff National Park. O Banff é um dos principais parques nacionais que ficam nas Montanhas Rochosas Canadenses (Canadian Rockies).

Outro parque maravilhoso e famosíssimo é o Jasper. Como não tínhamos muito tempo por lá, apenas passamos por um pedacinho do Jasper em um dia, mas não chegamos a conhecer o parque, que fica ao norte de Banff. A região inteira é tão incrível que vários lugares parecem ser de mentira ou tirado de papéis de parede de computador.

Sei que essa viagem está nos planos de muita gente que mora aqui no Canadá e até quem está planejando apenas turistar por aqui. Então, resolvi fazer esse post com minhas dicas e recomendações pra montar um roteiro de viagem por lá.

Sobre o Banff National Park

Como mencionei, Banff fica na região das Canadian Rocky Mountains, é cheio de geleiras, lagos, florestas, animais selvagens, e é palco dos cenários mais magníficos que já vi na vida. Ultrapassa tudo que eu podia imaginar.

Eles mantêm uma mentalidade forte de conservação ambiental, conscientização e educação sobre o assunto, enquanto é um lugar super atrativo a turistas que vão pra lá pra fazer tudo quanto é tipo de coisa, incluindo atividades tanto para o verão quanto para o inverno.

Pra entrar no parque, você precisa pagar um passe de acordo com a quantidade de pessoas e quantos dias você vai passar lá. Em 2019, o valor diário é $9.80 por adulto e se forem entre duas e sete pessoas no mesmo carro, o valor fica $19.60. Você pode conferir os valores atualizados no site oficial.

A entrada vale tanto pra Banff quanto para os outros parques nacionais da região, como o Jasper e Yoho. E você pode sair e entrar do parque quantas vezes quiser naquele período, basta manter o passe visível a todo o tempo no carro.

Quando Ir a Banff

Vista do Bow River e montanhas, em Banff, no Canadá

Alta temporada: meses quentes

A região fica mais popular em julho e agosto, que é o auge do verão canadense. Afinal, todo mundo quer fugir do frio, né? É uma época ótima pra fazer trilhas, tirar fotos com tudo bem verdinho (mas com topo de várias montanhas ainda com gelo, por conta das geleiras) e com certeza deve ser mais fácil de ver animais selvagens da região (se você não for azarado como a gente!), quando comparado com o inverno. Mas tem que encarar o fato de que tudo vai estar bem lotado.

Inverno em Banff

De outubro a abril é quando o frio se estabelece na região e a paisagem com certeza é outra, com a natureza coberta de neve e lagos congelados. É a época perfeita pra quem quer fazer esportes de inverno, como esqui (as estações de esqui da região costumam abrir em novembro e é bom ficar de olho na data certinha antes de viajar). Além do frio intenso, várias atividades e estradas fecham nessa época. A estrada pro Lake Moraine fica inacessível por causa do risco de avalanches e o passeio até a geleira de Athabasca também para de acontecer porque o frio fica impossível para quem trabalha por lá, por exemplo. Então, nunca deixe de pesquisar sobre isso.

Quando fomos: pontos positivos e negativos

Nós fomos pra lá no final de agosto e início de setembro, no feriadão do Labour Day no Canadá. E isso trouxe coisas boas e ruins. Quanto à temperatura, foi uma época ótima. No geral, estava um friozinho leve e gostoso (amanhecia com temperaturas abaixo de 10, mas durante o dia podia ultrapassar 20 graus), o que era ótimo pras muitas caminhadas que fazíamos. Oscilou muito entre frio e quente. O lado ruim é que já estava numa época de chuvas o que atrapalhou muito nossa viagem. Isso pode mudar muito e o tempo na região é muito volátil.

Se no seu caso você não estiver comprando passagens pra chegar lá numa data específica e houver flexibilidade, o ideal é ficar bem de olho na previsão pra decidir exatamente quando ir justamente por causa de chuva. Pegamos muita chuva, neblina e céu nublado, o que acabou atrapalhando nossos planos e nos fez praticamente perder um dia de atividades enquanto tentávamos fugir disso, já que praticamente tudo o que você vai fazer lá é ao ar livre.

Como Chegar em Banff

Estrada - Banff, Alberta, Canadá

O aeroporto mais perto fica em Calgary — a maior cidade da província de Alberta — e ela fica a cerca de 1h30 de carro da cidade de Banff (que já é dentro do parque nacional). Essa é a forma mais comum de chegar lá.

Assim que chegamos em Calgary, alugamos um carro para irmos pra região de Banff. Pra isso, você pode pegar a Trans-Canada Highway (AB-1) pra poder chegar mais rápido ou ir por uma rota alternativa, que é mais vazia, mais local, mas que leva mais tempo, a Bow Valley Trail (AB-1A). Principalmente chegando na região de Banff, fica tudo mais bonito e já tem lago de cor incrível pra ver, além de começar a acompanhar o Bow River, que é lindíssimo (e você vai vê-lo o tempo inteiro dentro do parque também). Diz que também é mais fácil ver ursos e outros animais por essa rota também. Mas a gente não deu essa sorte, infelizmente! Eu incluí essa rota no mapa ao fim desse post pra quem quiser.

Muita gente que está em British Columbia também vai pra Banff de carro, dirigindo pela Trans-Canada do oeste canadense, passando por outros parques e atravessando a região de montanhas.

Onde se Hospedar Próximo a Banff

Hospedagem na região é bem cara! É o item mais caro da viagem, de verdade. Então nós pesquisamos e consideramos várias opções pra tentar amenizar.

Dentro do próprio parque nacional existem vários locais pra se hospedar, desde hotéis e lodges na beira dos lagos maravilhosos, pousadas ao longo das estradas ou na cidade de Banff. São opções muito caras, obviamente. Calgary vai ter opções mais baratas mas é muito longe pra ficar indo para o parque todos os dias, ainda mais que tudo lá dentro já é longe um do outro.

Nós optamos por ficar em Canmore, uma cidadezinha logo do lado de fora do parque de Banff, que já está na região das Canadian Rockies, rodeada de montanhas, mas que já sai bem mais barato do que ficar no parque em si, apesar de ainda ser bem caro. Obviamente, com quanto mais antecedência você fizer sua reserva, mais barata ela vai ficar. Então isso é algo importante. A gente não teve muito tempo pra curtir Canmore, mas é uma cidadezinha linda e por lá já existem várias trilhas e vistas incríveis.

Outra opção é acampar. Existem vários pontos de camping no parque e essa pode ser uma ótima alternativa para economizar e ficar mais próximo da natureza. Mas cá entre nós, esse não era o nosso perfil de viajantes, haha.

Lugares para Visitar e Atividades no Verão em Banff

Como mencionei, principalmente por conta da chuva e o tempo limitado que tínhamos, nós não conseguimos fazer tudo que gostaríamos e podíamos por lá. Ficou aquele gostinho de quero mais. Então, vou começar falando das coisas que fizemos e lugares que visitamos, mas depois vou pontuar algumas outras coisas que ainda ficaram na nossa lista. Todos os lugares que a gente visitou também está no mapa interativo no final do post.

Lagos Maravilhosos pra Visitar em Banff

Lake Louise:

Esse é talvez o lago mais famoso de Banff, e acredito que seja o maior. É o de mais fácil acesso e é lindo. Mas confesso que depois de ver outros lagos, ele até fica meio sem graça, apesar de ainda maravilhoso. Então recomendo que você comece logo por ele pra poder apreciá-lo como algo único, mas também não perder a graça frente aos outros lagos.

Algumas dicas sobre o Lake Louise:

  • Vá de manhã pra ter as melhores fotos. E quanto mais cedo, melhor pra não estar muito lotado. Mas também há o risco de neblina, dependendo de como estiver o tempo. No nosso azar, fomos de manhã num dia que estava cheio de neblina e chovendo, e não dava nem pra ver a geleira ao fundo. Quando voltamos num dia de sol, ele já estava pra se pôr e estava bem de frente pras fotos, o que acabou atrapalhando muito. Por isso, vá de manhã – mas de preferência com sol.
  • Não faça o passeio de canoa. Lá é o lugar mais caro e o mais lotado. E como mencionei, não é o lago mais bonito. Por isso, fizemos o passeio no Lake Moraine.
  • Faça a trilha até o Fairview Lookout, que também está marcado no mapa. É um mirante que tem uma vista fantástica do lago. Valeu a pena a caminhada e o sufoco que passamos com medo de ursos!
  • Faça trilha até outros lagos próximos. Nós não tivemos tempo, mas você também pode caminhar até outros lagos por perto que me parecem maravilhosos: Lake Agnes e Mirror Lake. Sempre vão haver mais trilhas por perto que você pode fazer!

Lake Moraine:

Pra mim, o Moraine é o lago mais maravilhoso de todos que vi na região e em qualquer outro lugar. Ele é de um azul bem escuro que até brilha! Parece de mentira! Mas quando você chega perto, vê que a água é incrivelmente limpa!

Ele fica perto do Lake Louise, mas o acesso é mais difícil por alguns motivos: o estacionamento no local é pequeno e não cabe muitos carros e, como a estrada é muito estreita e sinuosa, assim que o estacionamento fica cheio eles fecham o acesso a essa estrada.

Algumas dicas pra aproveitar o Lake Moraine:

  • Vá bem cedinho. Como mencionei, eles fecham a estrada inteira quando o estacionamento do Lake Moraine fica cheio.
  • Use o shuttle do parque. Isso foi o que fizemos: deixamos nosso carro mais perto do Lake Louise e fomos de ônibus pra lá. Valeu muito a pena! Vou falar mais sobre esse transporte no fim do post.
  • Reserve mais tempo para aproveitar o lago. O Moraine foi o lago onde mais passamos tempo e curtimos. Chegamos lá debaixo de chuva (pra variar), mas o tempo logo abriu – o que foi ótimo, porque já era nosso último dia lá. Então aproveite bastante o tempo lá. Vale a pena!
  • Comece pelo mirante. Enquanto estão descansados e acabaram de chegar, vá direto para o mirante para poder tirar as fotos mais do alto (como a foto principal do post). É uma trilhazinha tranquila no meio de pedras e tem vários lugares de onde você pode tirar fotos. A vista é incrível e já valeria a pena se fosse só isso.
  • Faça o passeio de caiaque. A água do Moraine é inacreditável. Então achamos o lugar perfeito pra  fazer o clássico passeio de caiaque. Foi a melhor experiência de todas! É inacreditável como a água é azul. Tinha hora que a gente simplesmente parava pra poder apreciar a vista. Mas como tudo em Banff, o passeio não é barato: custou $125 e pode ir até três pessoas (preço de 2019, viu?!). Valeu cada centavo!
  • Caminhe em volta do lago. Aquela caminhadinha boa pra digestão foi imprescindível pra tirar fotos maravilhosas e ficar no meio da natureza. Queria poder fazer essa caminhadinha todos os dias.

É importante lembrar, como já mencionei, que a estrada para o Lake Moraine fica fechada do meio de outubro a abril, pelo risco de avalanches. Então, caso queira visitar o lago, planeje ir fora dessa época.

Peyto Lake:

O Peyto Lake era um dos lagos que mais queríamos ver. Porque ele era literalmente um dos papéis de parede do nosso computador. Imagina que incrível é ver isso pessoalmente!

Ele fica mais longe e acordamos cedo pra pegar estrada sentido norte pra chegar nele. A estrada até lá – a Icefield Parkway – já é maravilhosa por si só e tudo ficou melhor quando chegamos no mirante do Peyto Lake (Bow Summit). A trilha não é muito difícil, então dá pra chegar no alto rapidinho. Eu não vi nenhuma trilha até a margem do lago, mas só de ver lá de cima já foi um momento marcante. Deu pra ver claramente como a água escorre da geleira e forma esse lago de um azul encantador.

Ficamos um bom tempo tirando fotos porque a gente simplesmente não queria ir embora. Acho que as fotos falam por si só, né?

Outros Lagos pelo Caminho:

Existem vários outros lagos na região. E muitos você vai ver simplesmente porque dirigiu na estrada ao lado deles ou porque descobriu sem querer enquanto estava numa trilha.

Então, a gente tinha que ficar com o celular sempre preparado pra tirar uma foto e muitas vezes a gente nem conseguia fazer o registro quando estávamos na estrada. Por isso, mesmo que você seja apenas um passageiro, nada de tirar aquele cochilo. Aproveite bastante cada minuto.

Marquei no mapa diversos dos lagos que vimos e que me lembrei. Vários deles têm uma área na beira da estrada pra poder parar e tirar fotos. Parei em tantos mesmo debaixo de chuva só pra poder ver um pouquinho, mesmo que as fotos não ficassem boas.

O primeiro que me chamou a atenção foi logo antes de chegar a Canmore, o Gap Lake. Foi aquele sinal de que estávamos chegando.

Outros que chamaram minha atenção foram os Waterfowl Lakes, a norte do Peyto Lake. Ao que me parece, são dois lagos conectados por um riozinho e ficam bem do lado da Icefield Parkway. O primeiro lago, que me parece ser o principal, nós não conseguimos tirar foto de perto porque perdemos a entrada pro lookout.

E aí vem a minha dica: a placa que indica o mirante estava bem apagada e não dava pra ver a entrada. Daí, a entrada que vimos foi apenas para o camping da área e para uma outra trilha. Essa outra trilha me parecia que ia até um lago um pouco mais longe, mas não andamos muito por ela porque tínhamos mais atividades no nosso dia e não deu pra voltar. Mas no início dessa trilha nós passamos pelo riozinho que conecta os dois lagos, o que rendeu algumas das fotos acima. Resumindo: fique de olho nessa placa apagada e não perca essa oportunidade. Porque se for bonito como o riozinho, você não vai se arrepender.

O que fazer em Banff (fora os lagos)

Visita à Geleira de Athabasca (Columbia Icefield Adventure)

Algo que eu nunca imaginava que faria um dia na minha vida: beber a água puríssima de uma geleira. E isso foi só parte desse passeio único! A geleira fica no parque Jasper, a norte de Banff. Então aproveitamos o mesmo dia que fomos ao Peyto Lake e seguimos norte até o Columbia Icefield Glacier Discovery Centre pra comprarmos os ingressos e embarcarmos para a geleira.

A gente faz um passeio num Ice Explorer, um veículo de rodas gigantes, que consegue andar tranquilamente (porém lentamente, haha) no gelo e os motoristas vão contando vários fatos e histórias interessantes sobre a geleira durante todo o trajeto. É bem divertido e educativo!

A gente fica por meia hora lá em cima e podemos caminhar por uma área delimitada, tirar fotos, e beber a água de lá (a melhor água que já bebi na vida). Então, além de não esquecer de levar roupa para o frio de uma geleira, leve também uma garrafa pra poder coletar a água. Óbvio que a gente esqueceu nossas garrafas no carro e tivemos que congelar nossas mãos pra isso, haha.

Não deixe de ver todas as informações no site da Columbia Icefield. É importante lembrar também que esse passeio só acontece entre o meio de abril e o meio de outubro, por motivos óbvios: frio exagerado!

Skywalk

Skywalk, em Jasper - Alberta, Canadá

Logo depois do passeio na geleira, nós fomos até o Skywalk. Ele já estava incluído no valor do ticket, mas pode ser comprado à parte, caso você não queira ir à geleira. O Skywalk é uma estrutura que fica basicamente pendurada no abismo e com chão de vidro. Pensa num medo absurdo… Pois é, é o que eu senti. Mas ainda assim, foi beeeem legal. Mais legal ainda deve ter sido me ver andando toda travada sem querer olhar pra baixo!

Sinceramente, acho que eu não iria tão longe apenas pelo Skywalk. Eu estava mais empolgada pela geleira mesmo, que foi nosso objetivo principal. Mas estando por lá (e principalmente como já era incluído), não dava pra perder, né.

Johnston Canyon

Johnston Canyon - Upper Falls

Esse foi um passeio que aproveitamos pra fazer quando estava com uma chuvinha leve. É uma caminhada leve dentro de um cânion (desfiladeiro), acompanhando um rio e com vistas maravilhosas. Ele leva a duas quedas d’água: Lower FallsUpper Falls. Eu particularmente achei a queda menor mais bonita e ela é a primeira no caminho. No fim da trilha está Ink Pots e essa caminhada pode valer a pena. Mas não chegamos a ir até lá, justamente porque precisamos voltar (eita chuva!).

Afternoon Tea no Fairmont Banff Springs Hotel

Afternoon Tea no Fairmont Hotel de Banff

Tá aí outra coisa que eu também nunca acharia que ia acontecer: eu pagar caro pra beber chá e, ainda por cima, não me arrepender disso.

Eu não sou lá uma grande fã de chás. Então, quando me recomendaram ir tomar um cházinho da tarde no Fairmont Hotel de Banff, eu quis trucar essa recomendação. Mas seguir em frente foi a melhor coisa que eu fiz: tomei o melhor chá da minha vida e continuo tentando achar um chá igual.

High Tea é bem tradicional e apesar de teoricamente ser um chá da tarde, ele acontece das 11 da manhã até as 3 da tarde e você pode reservar sua mesa online. E pra quem quer ser ainda mais chique, eles também tem a opção de champanhe. O chá é servido acompanhado de scones, sanduichinhos, sobremesas e outros snacks. Quando você vê, parece que vai ser pouca comida, mas não foi, não, viu?! Recomendo mil vezes!

Fairmont Hotel de Banff

Esse mesmo hotel onde servem o chá pode ser palco de um passeio em si. Ele parece um castelo, tem vários restaurantes e da área aberta dos fundos você tem uma vista maravilhosa do Bow River.

Passeios pela cidade de Banff

Confesso que não andei muito por Banff em si. Caminhei pela avenida principal apenas quando estava em busca de lembrancinhas. Mas a cidade é extremamente charmosa e ainda tem várias coisas por perto que eu gostaria de ter feito: mirantes, a famosa gôndola, trilhas e tours especiais.

Passeios pela cidade de Canmore

Three Sisters, Canmore, AB - Canada

Canmore foi onde nos hospedamos, então geralmente chegávamos lá já prontos pra dormir logo. Mas lá também tem ótimos restaurantes, lojas bem legais, é rodeada por montanhas e trilhas, e também é bem charmosa.

Lá tem um trio de picos bem famosos que formam as Three Sisters e cada “irmã” tem um nome: da maior pra menor, são FaithCharityHope. E elas são bem fotogênicas, mas tem um lugarzinho especial, quase secreto, de onde tiramos a foto acima, então aqui vão as dicas pra esse local:

  1. Estacione na Off Leash Dog Area na entrada de Canmore (está marcado no mapa ao final do post)
  2. Atravesse a rua (com muito cuidado, é bem movimentado!)
  3. Vá caminhando por onde tem (ou era pra ter) um riacho, o Policeman Creek. Quando fomos, estava tudo seco, o que deixou mais fácil, porque era só cheio de pedras.
  4. Ande sempre de forma que o riacho fique à sua esquerda.
  5. Você vai chegar num ponto que o riacho se abre. Mesmo com o riacho seco, nessa parte vai ter água. Vai ser suficiente para o reflexo dos picos e pra esse enquadramento maravilhoso.

Foi uma das coisas mais aleatórias que eu já fiz por uma foto. Mas amei a aventura e o resultado!

Trilhas

Pra quem ama fazer trilhas, essa região é um paraíso. Fizemos várias, mas sempre das mais fáceis e a maioria era sinalizada, demarcada, bem tranquilo. Mas pra quem quer descobrir novos lugares, vão haver infinitas possibilidades. Recomendo usar um aplicativo como o AllTrails que tem mapa de inúmeras trilhas e pode ajudar muito em viagens como essa.

E vale lembrar que existem muitas trilhas fora de Banff também. A região de Canmore e Kananaskis é super famosa por isso e muita gente até prefere fazer hiking fora do parque.

Mirantes

Icefield Parkway

Já citei vários, mas vale mencionar que as estradas são cheias de espaços próprios que servem como lookouts e vale a pena parar sempre que puder. Você pode se surpreender. Esse da foto fica em Jasper, quase chegando onde fica a geleira. Ele é o mirante principal da Icefield Parkway (uma estrada belíssima). A vista é incrível lá de cima!

O que Ficou para a Próxima Visita

Já falei de várias coisas que tentamos e não conseguimos ou que precisaríamos de mais tempo pra fazer direito. Mas é tanta coisa que eu gostaria de fazer em Banff! Então aqui estão algumas das coisas que ainda quero fazer no dia que voltar:

  • Cave and Basin
  • Gôndola de Banff
  • Hot Springs
  • Jasper National Park (já que só fui até a geleira), que fica a norte do Banff National Park
  • Athabasca Falls (no Jasper National Park)
  • Emerald Lake, que fica no Yoho National Park, a oeste do Banff National Park
  • Ver animais selvagens. SÉRIO. Minha maior decepção dessa viagem é que eu não vi nem urso, nem alce, nem NADA. Vi mais animais selvagens dentro de Toronto do que lá. Oh azar!

Dicas Importantes

Apenas algumas coisas que aprendi com meus erros e acertos dessa viagem:

  • Sinal de celular (e, logo, internet) é limitado ou inexistente na maior parte do parque. Então, faça download de mapas, avise pessoas importantes do seu possível sumiço por várias horas, etc.
  • Leve carregador de celular portátil sempre com você, principalmente se você for tirar fotos por ele, como foi nosso caso. Vai ser muito útil.
  • Leve sempre roupa de frio, porque a temperatura lá varia bastante. Olhe sempre a previsão pra se vestir apropriadamente. E vista-se em camadas nesse caso.
  • Leve capa de chuva! Esqueci as nossas em Toronto e o nosso primeiro dia lá foi 100% debaixo de chuva. Nesses casos, banho de chuva não é nada legal. Compramos lá mesmo e nos salvou até o último dia!
  • Acorde bem cedo pra poder aproveitar bem o dia!
  • Caso você curta hiking e vá fazer muitas trilhas, leve bear spray e aprenda como lidar com ursos, pra sua segurança.
  • Caso não consiga chegar cedo o suficiente para estacionar perto do Lake Louise ou Lake Moraine, estacione no “Park and Ride” e use os ônibus que o parque disponibiliza para transporte. Nós fizemos isso para podermos ir ao Lake Moraine e valeu muito a pena. Custou $6 por pessoa e todas as informações estão no site oficial, incluindo informações sobre o Roam, o transporte público de lá.

E a dica principal: .

Minha vontade era de morar num dos hotéis dentro do parque, de preferência o que fica de frente ao Lake Moraine. Só pra nunca sair de lá. Mas estou satisfeita por ter realizado esse sonho e feito essa viagem tão única. Então, só posso recomendar que você também faça esse passeio inesquecível!

Agora fique com o mapa interativo que criei com os principais pontos e rotas que aproveitamos na nossa viagem. Espero que seja útil para a sua viagem!

Leia Também

Dirigindo com CNH em Ontario: regras e prazos Está vindo pra Toronto ou outra cidade de Ontario e quer dirigir por aqui? Saiba as regras pra usar sua carteira de motorista brasileira.
Um desabafo sobre os primeiros dias no Canadá Os primeiros dias aqui não são nada fáceis. Mesmo sendo a realização de um sonho, não é tudo tão mágico como imaginamos.
E o INGLÊS? IELTS, aulas e medo! Nesse vídeo, contamos como é o nosso nível de inglês, como aprendemos e praticamos o idioma e ainda comentamos sobre a prova do IELTS!
Onde comprar fantasias de Halloween em Toronto Mesmo de última hora, dá pra encontrar ótimas opções de fantasias pro Halloween em lojas físicas e online em Toronto. Veja as dicas.

Comentários

Siga o Vem Canadá

Facebook

Instagram

Pra ajudar nas economias

Meliuz

Ebates

Ganhe desconto no Airbnb